Vertigem

Quando o mundo gira



Quando o Mundo Gira - Vertigens e outras Tonturas


Conhecendo os problemas do Labirinto




Depois da dor de cabeça, as tonturas são as queixas mais comuns nos consultórios médicos. Estima-se que mais de dois milhões de pessoas consultam o médico anualmente com queixa de vertigem e outras tonturas. Esses sintomas representam, em grande parte das vezes, alterações do labirinto.





O que é Tontura?



É a sensação errônea de alteração do equilíbrio corporal. Existem mais de 300 quadros clínicos descritos que cursam com tontura. Cerca de 85% das tonturas são de origem labiríntica. Pode se manifestar como sensação de flutuação, afundamento, oscilação, instabilidade, cabeça oca, cabeça pesada, atordoamento, impressão de desvio do corpo para um dos lados, impressão de queda.









O que é um vertigem auditivo?



A origem da palavra vertigem vem do verbo em Latim “redemoinho”. A vertigem é o tipo mais comum de tontura, caracterizando-se pela sensação de rotação: o indivíduo sente que está rodando ou que o próprio ambiente esta girando ao seu redor. A vertigem pode ocorrer ou agravar-se em certas posições corporais ou às mudanças da posição da cabeça. Mais de 95% das vertigens têm origem no labirinto.






O que é enjôo de movimento?



Algumas pessoas sentem náuseas e até mesmo vomitam quando estão em um avião, em um carro ou em um parque de diversões, e isso é chamado de enjôo de movimento ou cinetose.






Para que serve o labirinto?



O sistema vestibular serve para manter o equilíbrio do nosso corpo. O labirinto é uma parte deste sistema. Ele informa o cérebro se estamos parados, andando, caindo, girando, inclinando, etc.





Como é mantido o nosso equilíbrio?



Por meio de uma complexa interação entre sistemas que incluem: o labirinto, os olhos, as articulações, os tendões e os músculos.


Todas essas estruturas mandam informações sobre a posição da cabeça e do corpo para o nosso cérebro.


Daí, o cérebro analisa estas informações e faz ajustes para manter um equilíbrio perfeito do corpo.


Tudo funciona com muita harmonia!






Como aparece a tontura?



A tontura aparece quando alguma destas estruturas não consegue mandar as informações da posição da cabeça ou do corpo para o cérebro ou quando o cérebro não consegue entendê-las direito.





Quais são as causas das tonturas?



Várias são as causas de tonturas e/ou vertigens. As principais e mais freqüentes são estas:


    Vertigem Posicional Paroxística Benigna (VPPB): A vertigem é causada quando os cristais de cálcio (otocônias) se deslocam e caem dentro de um dos canais semicirculares, levando a vertigem quando se movimenta a cabeça. Neste caso, o tratamento não é medicamentoso, e sim com uma manobra para recolocar os cristais no local.


    Doença de Ménière: outra causa importante onde à pressão do líquido dentro do labirinto e do ouvido aumenta, levando a uma tontura acompanhado de uma diminuição da audição e/ou zumbido.


    Problemas metabólicos como alterações do nível de açúcar no sangue: são causas importantes de tontura, pois o labirinto consome muita energia derivado do açúcar.


    Enxaqueca Vestibular ou Migrânea Vestibular: muitas vezes, a tontura pode ser desencadeada por ou estar relacionada à enxaqueca.


    Doenças cardiovasculares: podem levar a tontura devido à diminuição da irrigação do labirinto. Assim como problemas cervicais.


    Quadros infecciosos: podem levar a uma inflamação do nervo vestibular, levando a uma tontura intensa, chamada de neurite vestibular.


    Labirintite: é uma causa muito pouco comum de tontura. Ela seria uma infamação do labirinto e muitas vezes, está associado a uma perda auditiva. Está acompanhada de um processo infeccioso.


    Tumor: é uma causa rara, e muitas vezes, está associado com uma perda da audição.


    Problemas psicológicos: podem ser a causa, assim como conseqüência da tontura.


Estas são algumas das causas, pois existem centenas de outros fatores que podem levar a tontura.


Essas causas podem estar isoladas ou associadas, sendo assim, a tontura pode ser devido a mais de um fator.





Quais são os sinais e sintomas?



A tontura aguda geralmente é do tipo giratório (crise vertiginosa), intensa e acompanhada de sintomas como náuseas, vômitos, sudorese, palidez, taquicardia, sensação de desmaio e prostração. Pode durar minutos, horas ou dias e ocorrer mais de uma vez em um mesmo paciente, com intervalos de tempo variáveis.


Pacientes com tonturas costumam apresentar, em maior ou menor grau, insegurança, ansiedade, depressão, medo, perda de memória, dificuldade de concentração mental, fadiga física e mental, que afetam de modo considerável a sua qualidade de vida.


Devido às relações entre o sistema vestibular e o sistema auditivo, o paciente com tonturas pode apresentar sintomas como diminuição da audição em um dos ouvidos ou em ambos, dificuldade para entender a conversação, zumbido no ouvido ou na cabeça, sensação de pressão no ouvido e sensibilidade aumentada a sons.





O que fazer quando sentimos tontura?



Sentir tontura ou desequilíbrio é muito desagradável! A primeira coisa a fazer é procurar um médico otorrinolaringologista ou neurologista para descobrir qual destas estruturas não está funcionando bem.


Isso é muito importante para tratar a tontura e prevenir outras crises, afinal de contas, sabendo a causa, é mais fácil tratar com sucesso!





Quando pensar em labirintopatias?



Tontura ou desequilíbrio


Cinetose (Mal do movimento)


Zumbido e/ou Perda auditiva


Crianças que vomitam com facilidade, com enurese noturna, problemas de aprendizagem





Como fazer o diagnóstico?



O diagnóstico dependerá principalmente da história e do exame otoneurológico que analisa as funções: auditiva e do sistema vestibular, por meio de diversos procedimentos.


    A Audiometria Completa: que é a avaliação da audição muitas vezes é necessária, pois o labirinto está intimamente ligado ao nosso sistema auditivo. Assim, vários problemas auditivos podem levar a tontura, e vice-versa.



    A Vectonistagmografia Computadorizada: é um exame muito importante, pois confirma se o problema é ou não do labirinto. Caso seja, indicará se é do sistema nervoso central ou periférico. Se for do labirinto, se é do lado direito ou esquerdo ou bilateral, assim como, se é irritativo (quando o labirinto funciona demais) ou deficitário (quando o labirinto funciona menos). Este exame por si só não mostra a causa, mas junto com a história e o exame físico, o médico consegue identificar a causa ou afastar doenças mais graves.



    A Video-Frenzel: é um equipamento composto por uma micro-câmera que utiliza sensores infravermelhos para captação da imagem no escuro auxilia muito no diagnóstico da Vertigem Posicional Paroxística Benigna (VPPB) vertigem que ocorre em determinadas posições da cabeça, como, por exemplo, virar para um dos lados quando deitado, estender roupa no varal ou alcançar uma gaveta localizada acima da cabeça. Confirma a suspeita, além de indicar qual o lado do labirinto e em qual o canal que está o problema, pois, para cada local, um tratamento diferente.



Outros exames podem ser solicitados, ficando a critério do médico, dependendo da sua suspeita.





Como tratar?



Como foi visto, a tontura é um sintoma, e não uma doença. Assim, devemos achar a causa, ou as causas, para fazer o melhor tratamento.


O tratamento pode ser medicamentoso, manobras, exercícios, dieta, alterações de hábito, dependendo da causa.


Muitos pacientes continuam com a tontura devido a um diagnóstico incorreto ou a um tratamento inadequado.


O tratamento visa eliminar ou atenuar as tonturas e sintomas associados. Com o tratamento adequado, um número relevante de pacientes tem obtido melhora expressiva ou cura de seus distúrbios labirínticos.





Dicas para melhorar a minha tontura!



Correto           Incorreto


Cuidados na alimentação


Evite os maus hábitos


Faça exercícios físicos


Tome muito líquido


Relaxe


Não tome medicamentos sem ordem médica


Evitar o uso de cafeína.


Evite o uso de açúcar refinado, mascavo, cristal, mel, troque por adoçantes à base de Stevia.




LEMBRE-SE: A maior parte das causas de tonturas e/ou vertigens tem tratamento. Procure um especialista!





Instruções para o exame otoneurológico: 



48 horas (dois dias) antes do exame, suspender medicação para tontura, alergia, calmante e/ou anti-depressivo (mais comuns: Dramin®, Vertix®, Lexotan®, Stugeron®, Tebonin®, Tanakan®, Rivotril®). Consulte seu médico antes de suspendê-los.


    Obs 1: Após o exame o paciente deverá fazer uso regular dos medicamentos prescritos pelo médico;


    Obs 2: Medicações para pressão, diabetes, convulsão e coração devem ser tomados normalmente.




Suspender 24 horas (um dia) antes do exame:


    Cigarro


    Café


    Chá mate


    Chá preto


    Chocolate


    Refrigerantes


    Açúcar refinado


    Álcool


    Doces




No dia do exame:


    Evitar o uso de lentes de contato; brincos; maquiagem (pó facial, base) ou cremes.


    Fazer jejum de 3 horas antes do exame (comer alimentos leves).




Trazer audiometria (exame da audição); se não tiver, realizar no dia do exame.


É aconselhável a presença de um acompanhante.


O não cumprimento destas orientações pode prejudicar a realização do exame e comprometer o seu resultado


   






 
Clique na imagem para ampliar!
Marknet®. Todos os direitos Reservados.